Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 03 Jul 2020 A ligação de Eça de Queiroz ao Solar Condes de Resende Veja a explicação de Gonçalves Guimarães




"Vila Nova de Gaia é conhecida por ser uma terra de escultores e, efetivamente, não só cá nasceram alguns, ou bastantes mesmo, mas outros vieram para cá morar, outros trabalharam cá. Há estátuas de escultores de Gaia pelo país inteiro, do Minho ao Algarve, há estátuas de escultores de Gaia no Brasil e até em França. Ora, mas neste caso, temos aqui uma estátua de Eça de Queiroz concebida pelo escultor Hélder de Carvalho, que tem o seu atelier na antiga Eletro Cerâmica do Candal. E, portanto, também num lugar emblemático de Vila Nova de Gaia, onde vai produzindo uma série de estátuas que tem disseminadas pelo país. Ora, neste caso concreto, a estátua de Eça de Queiroz foi feita para colocar aqui neste local, no ano 2000, quando se comemorava uma efeméride relacionada com a vida e obra de Eça de Queiroz porque, efetivamente, ele veio várias vezes a esta casa ao longo da sua vida. A primeira foi em 1869, a primeira vez que está documentada, no ano em que ele vai ao Egito com o 5º Conde de Resende, tinha pouco mais de 20 anos. Ele tinha acabado de fazer o seu curso em Coimbra e foram à inauguração do Canal de Suez, que foi um grande acontecimento internacional na altura.

Eça de Queiroz recolheu então, nessa célebre viagem, apontamentos não só para um livro de viagens que havia de escrever mais tarde, chamado "O Egipto - Notas de Viagem”, mas também para um célebre romance, que foi "A Relíquia”. Mas, nesse mesmo ano, e nessa vinda documentada a esta casa por parte de Eça de Queiroz, ele veio cá fazer um ato mais simbólico: foi a inauguração da primeira escola primária que existiu na freguesia de Canelas, exatamente patrocinada pelo seu amigo, o 5º Conde de Resende. Portanto, foi um ato de promoção da educação, das crianças que aqui havia, e Eça de Queiroz fez questão de estar presente nesse ato. Depois ao longo da vida veio cá muitas mais vezes até porque, como ele escreveria mais tarde, já não ao 5º Conde de Resende, mas ao 6º Conde de Resende, que viria efetivamente a ser seu cunhado, foi aqui neste local que ele se apaixonou pela senhora com quem viria a casar, ou seja, uma das irmãs dos Condes de Resende, de seu nome Emília e, portanto, sempre que vinha a Portugal, já depois como cônsul em Inglaterra e em França, vinha aqui visitar a família a esta casa. Portanto, são esses dados que temos documentados para dizer às pessoas que nos visitam e perguntam o que é que Eça de Queiroz tem a ver com esta casa. Ele está aqui sentado à espera de acolher os seus visitantes, para lhes falar da sua vida, obviamente, mas também da sua obra e da sua época”.

Gonçalves Guimarães