Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi

Mensagem do Presidente


Vila Nova de Gaia está num caminho de continuidade. Começamos, em 2013, com um projeto de mobilização das pessoas para um paradigma de gestão autárquica alicerçado na sustentabilidade, que nos aproximasse dos melhores padrões europeus. Um paradigma desenvolvimentista de boa gestão dos recursos públicos, de equilíbrio entre as obras infraestruturais e as obras imateriais, e que interfere positivamente na qualidade de vida das pessoas.

Por isso, ao mesmo tempo que apostamos na reabilitação dos equipamentos e dos espaços públicos, não ignoramos a educação, a ação social, as políticas direcionadas para os designados grupos invisíveis, como os cuidadores informais, as famílias a necessitarem de apoio ao arrendamento ou as famílias em situação de emergência social. Fizemos opções e continuaremos a insistir naquilo em que acreditamos: o reforço da sustentabilidade económico-financeira, melhores equipamentos infraestruturais e de fruição; menor carga fiscal sobre as famílias, melhores políticas de apoio social, educativo e cultural.

Ambicionamos uma vida melhor para os Gaienses, escolas melhores para um futuro mais próspero, menor desemprego, habitação de qualidade e a preços razoáveis, transportes melhores, para que nos sintamos dignos dos serviços que prestamos.

Um concelho de jovens aposta na educação, na formação profissional, no emprego e na atratividade empresarial. Aposta nas creches e nos equipamentos para a infância, não municipais ou estatais, mas construídos na virtuosa parceria desenvolvimentista com as instituições sociais do concelho. Mas aposta, também, no apoio aos idosos, criando parcerias, redes frutíferas com as nossas instituições da economia social.

Assumimos o potencial da cultura e do desporto como fator de crescimento social e económico, seja pelo turismo, pela inovação ou pela captação de investimento reprodutor e gerador de empregos.

A pandemia pôs-nos à prova, pela imprevisibilidade e pela intensidade. Respondemos localmente, antes mesmo do Estado central, e mostramos que estávamos preparados até para lidar com o imprevisto. Percebemos a importância de ter as contas em ordem. Os meses de pandemia reforçaram uma certeza: Gaia não é apenas a terceira cidade mais populosa de Portugal; quer ser uma das mais promissoras da Europa. E o caminho já está a ser feito.