Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 05 Jun 2020 Visita às obras do Hospital de Gaia Foi, ainda, assinado o protocolo para o «Parque Verde»
As obras da fase B do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho estão a entrar na reta final. A 5 de junho, o presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, acompanhado pelo presidente do Conselho de Administração do hospital, Rui Guimarães, visitaram as intervenções em curso. A fase B está em execução com um investimento estimado de 13 milhões de euros, dos quais cerca de seis milhões são fruto de financiamento comunitário e três milhões de comparticipação municipal de forma a cobrir a componente nacional de financiamento comunitário, que não sendo uma competência direta do município, é uma prioridade. A visita começou no serviço de urologia atual que, devido ao estado em que se encontra, será o primeiro serviço a ser transferido para o novo edifício. Será instalado na área que, durante o pico da pandemia covid-19, funcionou como Unidade de Apoio Respiratório, e que será o futuro serviço de urologia. Seguiu-se uma visita ao novo serviço de urgência, que inclui a urgência de adultos e a urgência pediátrica. "É uma grande conquista para o hospital e para todos nós”, partilhou o autarca.

Tendo como ponto de partida as comemorações do Dia Mundial do Ambiente, a 5 de junho, foi, ainda, formalizado o protocolo entre a Câmara Municipal de Gaia e o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, para a criação do «Parque Verde do CHVNG/E». As instalações da unidade 1 do Hospital de Gaia dispõem de uma área de mata com, aproximadamente, 68 mil m2, caracterizada pela presença de diversas espécies arbóreas, com potencial para a criação de zonas de fruição e estadia para lazer e recreio, em benefício das populações, dos seus utentes e funcionários. Uma vez que se verifica a necessidade de erradicar vegetação infestante e invasora, de remover árvores secas e em perigo de queda e implementar, em sua substituição, vegetação autóctone para a promoção do equilíbrio do ecossistema existente, a equipa e os recursos do Parque Biológico podem preencher esta lacuna. Este protocolo permite, assim, estreitar a relação de parceria entre a autarquia e o Hospital de Gaia de forma a que o «Parque Verde» seja um espaço que contribua para o desenvolvimento de estilos de vida saudáveis junto da comunidade.