Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Rota da Água, um grande museu ao ar livre
Notícias e Destaques 01 Jul 2021 Rota da Água, um grande museu ao ar livre Projeto foi apresentado na cerimónia de hastear das bandeiras azuis
 

Duas semanas depois da abertura oficial da época balnear no norte do país, Vila Nova de Gaia, como habitual, organizou a cerimónia de entrega das bandeiras azuis que "pintam” as zonas balneares do concelho, a 1 de julho. Miguel Lemos, administrador executivo da Águas de Gaia, EM, S.A., aproveitou para fazer um balanço da primeira quinzena, garantindo que tudo está a seguir dentro da normalidade necessária, com respeito pelas regras impostas, estando reunidas as condições necessárias "para termos uma excelente época balnear”.

A segurança está criada, para todas as pessoas que queiram visitar as praias do concelho. "Este ano mantivemos os circuitos de entrada e saída das praias para que não existam cruzamentos; temos dispensadores de álcool gel nas entradas e junto aos chuveiros de praia; mantivemos as regras relacionadas com as máscaras e o protocolo sanitário; mantivemos um conjunto de informações à entrada das praias para relembrar as regras; apostamos novamente nos assistentes de praia, reformulando o conceito numa lógica de ter alguém que nos recebe à entrada da praia e nos dá indicações. Por fim, não esquecemos a aposta nas bandeiras que nos indicam a lotação das praias”, explicou o responsável.

O dia 1 de julho marcou ainda a apresentação de dois projetos sob a alçada da empresa municipal Águas de Gaia: a Rota da Água e um novo sistema desenvolvido pela Scemai, uma start-up que ganhou o Prémio H2O inovação by Águas de Gaia, no Concurso Montepio Acredita Portugal, o que permitiu uma parceria com a empresa. Da parte da Águas de Gaia, "é uma aposta no empreendedorismo que dá resultado”. A empresa desenvolveu um sistema que é composto por "um conjunto de sensores que trabalham com algoritmos de inteligência artificial que nos permite ter uma série de indicadores, por um lado, mais banais, como a temperatura, a radiação solar ou a velocidade do vento na orla marítima, mas, por outro lado, podemos também detetar com antecedência focos de poluição nas nossas ribeiras, problemas nas redes de saneamento, uma descarga ilegal. Trata-se de informação muito útil que pode ser trabalhada pela Águas de Gaia, pela SIMDOURO, pela APA, pela Capitania, entre outras entidades”, partilhou Miguel Lemos.

Por sua vez, o projeto «Rota da Água» é um grande centro de educação ambiental, um museu ao ar livre, onde foram criadas rotas (serão sete no total) pelo concelho, com um elemento central: a água. Através de um smartphone, o utilizador, livremente ou através de visita guiada, pode percorrer vários pontos dispersos pelo concelho (a partir de QR Code), ficando a conhecer melhor alguns pontos de interesse, como a capela do Senhor da Pedra, o Geossítio de Lavadores, as pontes, os rios, entre outros. A utilização pode ser livre (através de um áudio guia) ou a partir de visita guiada. Neste último caso, basta inscrever-se no Centro de Educação Ambiental (marcações de segunda a sexta-feira) e programar o dia para percorrer o concelho, a partir de veículos de mobilidade suave e com técnicos especializados. Para já, os percursos estão em três línguas: português, inglês e espanhol. "Seguimos a lógica daquilo que a pandemia nos ensinou. Hoje procuramos espaços ao ar livre, contacto com a Natureza. Descontinuámos o site «Gaia Mais Praia» e a aplicação que permitia conhecer virtualmente as ribeiras do Espírito Santo, e construímos este produto que congrega toda a informação que, até agora, estava dispersa”, explicou Miguel Lemos, acrescentando tratar-se do "maior museu da água e centro de educação ambiental de Portugal”.

Site: https://www.rotadaagua-gaia.pt/

Marcações CEAR: 227 539 676 (9h-13h/14h-17h)