Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 18 Jul 2020 Ponte da Arrábida chamou-se «Ponte Mandela» por um dia A iniciativa fez parte das comemorações do Dia Internacional Nelson Mandela
A Câmara Municipal de Gaia uniu-se ao Instituto Padre António Vieira e à Academia de Líderes Ubuntu para celebrar o Dia Internacional Nelson Mandela, assinalado a 18 de julho, data do aniversário de nascimento do líder sul-africano, com a iniciativa «Mandela Bridges World E-Summit». Este evento contou com a participação de três Prémios Nobel da Paz - Ramos Horta, Muhammad Yunus e Kaylash Satyarthi - de Ndaba Mandela, neto de Mandela, assim como com o presidente da autarquia de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, entre trinta outros oradores de relevo.

Igualmente presentes virtualmente estiveram John Carlin, autor do livro «Invictus – O Triunfo de Mandela», que deu origem ao filme «Invictus», Piyushi Kotecha, diretora da Fundação Desmond Tutu, Harold Good, um dos principais mediadores do processo de paz na Irlanda do Norte, e Noellen Heyzer, que trabalhou com Mandela no processo de paz no Burundi.

A iniciativa, que decorreu através da plataforma Zoom devido às condicionantes impostas pela atual pandemia, reuniu também líderes das Academias de Líderes Ubuntu e jovens de mais de 29 países, com o objetivo de partilhar e homenagear o legado de paz, reconciliação e união de Nelson Mandela.

Como forma de sublinhar a importância das «pontes» que Mandela criou para unir os povos, destacou-se um outro ponto das comemorações: a renomeação, por um dia, de várias pontes com o nome de Mandela, entre elas, a ponte da Arrábida, tendo sido colocada uma placa alusiva ao evento na base dos pilares, na marginal de Gaia.

Para Rui Marques, presidente do Instituto Padre António Vieira e coordenador da Academia de Líderes Ubuntu, esta foi uma "oportunidade para o mundo se unir numa luta justa contra a Covid-19”, que não deixou ninguém para trás. "Mandela estaria nesta luta, tal como esteve no combate à sida”, disse o ativista social, para quem a humanidade precisa do "sentido de justiça e de solidariedade de Nelson Mandela, e de construir pontes entre si”.

Nelson Mandela, que nasceu em 1918 e morreu em 2013, foi galardoado com o Prémio Nobel da Paz em dezembro de 1993, pela sua luta contra o regime de segregação racial (apartheid). Condenado a prisão perpétua, em 1964, foi libertado em 1990 após uma forte pressão internacional. Foi presidente da África do Sul entre 1994 e 1999.