Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 16 Abr 2021 PATA já está em pleno funcionamento Infraestrutura resulta de um investimento de 1,3 milhões de euros
A Plataforma de Acolhimento e Tratamento Animal (PATA) já está em pleno funcionamento, depois de uma cerimónia que assinalou a abertura oficial da estrutura a 16 de abril. Esta infraestrutura, que resulta de um investimento municipal na ordem dos 1,3 milhões de euros, vem, assim, colmatar algumas necessidades sentidas, durante muito tempo, pelo Centro de Reabilitação Animal de Gaia (CRA), nomeadamente ao nível da falta de espaço e de celas.

Enquadrada numa área verde, em Avintes, nas proximidades do Parque Biológico, com uma área de cerca de 36 mil metros quadrados (quatro vezes mais do que as anteriores instalações do CRA), a PATA está estruturalmente dividida em três grupos:
  • Formar: tem acesso pelo interior e é independente pelo exterior, permitindo o seu uso mais flexível e autónomo dos horários de funcionamento do equipamento. Destina-se a um centro de formação vocacionado, sobretudo, para ações de sensibilização contra o abandono dos animais, bem como sobre os cuidados a ter com os mesmos;
  • Cuidar: destinado a áreas administrativas, de tratamento e de apoio ao alojamento dos animais, incluindo, ainda, um gatil;
  • Alojar: são os edifícios anexos que ocupam as posições mais reservadas e protegidas, de modo a garantir o bem-estar dos animais. Destina-se ao seu alojamento, oferecendo maior capacidade do que a atual e contando, ainda, com algumas novidades, como a maternidade, uma área de recreação e um parque canino.



A PATA tem, assim, as valências necessárias para os cuidados e tratamentos dos animais, contribuindo para uma melhoria das suas condições. Tem um total de 80 jaulas para cães e dez para gatos, e ainda uma zona de infetocontagiosas e jaulas para seniores. No total, pode alojar 150 a 170 animais – uma média de dois cães por jaula e dez gatos, já que estes têm de ficar sozinhos.

Para Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, "a PATA nasce da necessidade de acrescentar valências à oferta do Município na área do acolhimento e tratamento animal, uma vez que a urgência de mais espaço e de um maior número de jaulas era há muito identificada pelo Centro de Reabilitação Animal, que tem desempenhado um papel fundamental na promoção da adoção responsável de cães e gatos que são recolhidos pelo Município. Contudo, a necessidade de um espaço dedicado à formação e de uma zona lúdica ampla destinada à circulação e socialização dos animais é agora uma realidade prestes a ser posta em funcionamento”.

O edifício inclui, também, uma zona lúdica mais ampla onde os animais possam circular e fazer determinado tipo de treino. Esta infraestrutura, que resulta de um investimento municipal de 1,3 milhões de euros, vai, deste modo, acrescentar mais valências à atual oferta do Município de Gaia.