Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 14 Dez 2020 Juventudes: olhar para o presente e projetar o futuro Érica Moreira e Bruna Rodrigues deram os seus testemunhos
Depois das oito sessões temáticas realizadas nas últimas semanas, com uma forte adesão do público, a Câmara Municipal de Gaia iniciou, a 14 de dezembro, um conjunto de cinco fóruns online, direcionados para grupos específicos da sociedade gaiense. As sessões são realizadas às 21 horas de forma a alcançar um público distinto da primeira fase destes encontros, tal como começou por explicar Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da autarquia: "sabemos que a pandemia levantou múltiplos desafios, alguns deles estão a ser bem respondidos e precisam de ser continuados pelo nosso modelo de desenvolvimento; outros importa reforçar, nomeadamente no que respeita a questões ligadas à componente económico-social do nosso concelho; e há ainda outros em que temos de criar novas respostas, rápidas e criativas, acrescentando conhecimento e ideias. Entendemos, por isso, dar continuidade às sessões, agora num horário diferente para ter outras pessoas disponíveis e envolvidas neste processo”. 



«Juventudes, Presente e Futuro» foi o tema de arranque. Juventudes, no plural. "É pouco relevante ter uma política de juventude. Importa ter uma política de juventudes porque isso significa ter várias políticas e não encarcerar o conceito de juventude”, começou por explicar Eduardo Vítor Rodrigues, lançando alguns dos principais desafios que as diferentes juventudes de um concelho com a multidimensionalidade de Vila Nova de Gaia tem: formação, empregabilidade, arrendamento, lazer e sociabilidades. "As consequências da pandemia vão ficar repercutidas no tempo e temos de estar preparados com respostas inovadoras”, assumiu.  

Comecemos pela relação dos jovens com a necessidade de uma emancipação familiar. Sabendo da ‘pressão’ que muitos deles sentem a partir de determinada idade, o Município de Gaia criou mecanismos de apoio ao arrendamento. "Sabemos que o arrendamento visa muitos grupos, e não só jovens. Mas, sabemos, também, da necessidade de apoio que muitos sentem para se emanciparem, atendendo aos custos excessivos do mercado de arrendamento”, afirmou Eduardo Vítor Rodrigues, acrescentando que a partir de 1 de janeiro de 2021 haverá uma reativação do programa de apoio ao arrendamento, do programa municipal de estágios remunerados e o lançamento de um novo conjunto de medidas de âmbito social.  

Existe a consciência de que a temática da juventude é talvez a mais transversal a todo o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal, daí este também ser o primeiro tema destas cinco novas sessões. "São os jovens de hoje que valorizam o ambiente, os espaços de lazer, o transporte público de qualidade, o arrendamento e os modelos de formação e de emprego diversificado”, disse o autarca, apelando ao envolvimento de todos para a construção de novos pilares de desenvolvimento. E, falando de envolvimento ativo, Eduardo Vítor Rodrigues passou a palavra a Érica Moreira, uma das vencedoras do GOP+Jovem 2020, com o projeto «Jardim Sensorial». Inspirada na cultura oriental e na sua relação com a natureza e os jardins em concreto, esta iniciativa pretende promover a harmonia e o equilíbrio, funcionando como uma terapia para toda a comunidade. O «Jardim Sensorial» promete despertar os cinco sentidos do corpo humano através das diferentes texturas das plantas e do solo, dos sons da água, dos pássaros, do vento, das folhas e flores, das suas cores e cheiros, num regresso ao nosso "eu primitivo”. Para Érica Moreira, "o GOP+Jovem é uma oportunidade única de concretizar ideias”, lançando um apelo aos jovens para que participem na próxima edição, cuja dotação orçamental é ainda maior: "a Câmara dá-nos este apoio para concretizarmos as nossas ideias, podem sonhar mais alto e tirar os vossos projetos da cabeça”. Para a jovem, a candidatura a Capital Europeia da Juventude em 2024 tem tido repercussões muito positivas no sentido em que existem mais atividades e mais oportunidades de envolvimento. "Gaia é um Município que nos quer ouvir. Não tenham medo de participar, de falar e de ter um impacto na sociedade”, concluiu, dando a palavra a uma das embaixadoras de Gaia a Capital Europeia da Juventude, Bruna Rodrigues.  

Foi em 2015 que se deu o primeiro contacto de Bruna com as atividades da autarquia, através de uma das sessões do «Mais Voz à Juventude». Bruna não sabia muito bem para o que ia, mas foi. "É bom atirarmo-nos para o desconhecido porque pode tornar-se muito benéfico para o nosso crescimento pessoal e despertar em nós capacidades que não pensávamos que tínhamos. Eu, por exemplo, descobri uma capacidade de mudança que desconhecia”, partilhou a jovem que recordou ainda que nessa sessão, o trabalho, os transportes públicos e a habitação foram áreas levantadas pelos jovens presentes e que são hoje algumas das prioridades da autarquia. "Temos sorte de ter um Município que nos ouve. Os jovens podem ter um papel interventivo na sociedade porque as suas ideias são ouvidas”, garantiu Bruna Rodrigues. À falta de emprego, o Município respondeu com um reforço do programa municipal de estágios remunerados. À falta de transportes públicos, a autarquia envolveu-se na dinamização do metro bus, na expansão da linha amarela ou na gratuitidade dos passes para estudantes do ensino superior. "Isto só foi possível porque houve jovens que tiveram a coragem de dizer o que pensam. Os projetos têm sucesso porque não são utópicos e são ajustados à realidade. É com orgulho que falo destas iniciativas porque tenho muito orgulho em ser residente em Gaia. Que município melhor para viver do que um que quer responder às necessidades dos cidadãos?”, concluiu Bruna Rodrigues.  

GOP+Jovem, candidatura de Gaia a Capital Europeia da Juventude e envolvimento dos jovens nos projetos da cidade foram algumas das questões que chegaram da audiência, para as quais Eduardo Vítor Rodrigues dedicou uma atenção especial. O GOP+Jovem sempre foi encarado pela autarquia como uma estratégia de envolvimento na vida da comunidade e uma forma de aproximar as ideias à sua concretização. O presidente realçou o facto de ser "interessante ver que muitas ideias aparecem para serem feitas no imediato, mas a burocracia e a tramitação da contratação pública são um grande peso”. A adesão ao projeto tem sido crescente, ano após ano, reforçando-se o espírito de cidadania, num caminho que o presidente considera "irreversível”.  

A candidatura de Gaia a Capital Europeia da Juventude não se esgota no dia em que for conhecido o vencedor. "Queremos garantir que todo o trabalho que está a ser feito, independentemente do resultado, não vai voltar atrás. Há uma dinâmica e um envolvimento que continuarão para lá de 2024”, assumiu. Por fim, a juventude de Gaia é interessada no concelho? A resposta surgiu sem hesitações: "olhando para a Érica e para a Bruna, eu diria ‘claro que sim’, mas tenho a noção de que ainda há muito espaço para conquistar. Há um alheamento face à vida das instituições e isso reflete-se em coisas simples como a leitura dos jornais, o envolvimento associativo ou o interesse pela dimensão do trabalho autárquico”. O desafio passará por reforçar o vínculo das juventudes com as instituições e, para isso, há um elemento que não pode falhar: a confiança.  

A próxima sessão realiza-se a 15 de dezembro, dedicada ao tema «associações locais e desenvolvimento». O fórum inicia-se às 21 horas, com transmissão em direto no Facebook e no site institucional da Câmara Municipal de Gaia.