Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 25 Fev 2021 Gaia+Inclusiva está a ajudar cada vez mais famílias em dificuldades Programa disponibiliza apoio em várias áreas
Em 2020, em virtude das vicissitudes provocadas pela pandemia de Covid-19, o número de beneficiários abrangidos pelo programa municipal Gaia+Inclusiva sofreu um impacto significativo, nos seus mais variados eixos de intervenção, com um aumento dos pedidos em áreas que vão desde o apoio ao arrendamento até à ajuda com os pagamentos decorrentes da gestão diária de uma habitação. 

O apoio na carência económica e emergência social materializa-se numa ajuda financeira a agregados familiares em dificuldades, em domínios como alimentação, saúde, educação, habitação (despesas como renda, luz, água) e transportes. Em 2020, foram apoiadas 1.696 famílias, o que corresponde a 3.665 indivíduos, num investimento total na ordem dos 237 mil euros (habitação – 46,5%; saúde – 31,1% e apoio alimentar – 21,8%). No topo das freguesias com mais famílias apoiadas estão Pedroso e Seixezelo (242) e Mafamude e Vilar do Paraíso (236).  

No eixo do apoio ao endividamento, a Câmara de Gaia fez 19 intervenções/diagnósticos e 24 atendimentos, em parceria com o Gabinete de Proteção Financeira (Deco). Na vertente do apoio ao consumidor, foram realizadas 35 intervenções e 72 atendimentos, num trabalho conjunto com o Gabinete de Apoio ao Consumidor (Deco).

A Escola Oficina tem desempenhado um papel fundamental neste programa, na vertente do apoio na educação, emprego e formação. Ao longo do ano passado, a escola acompanhou 941 beneficiários (58% mulheres e 42% homens), sobretudo com idades compreendidas entre os 21 e 30 anos (409). Trata-se de uma parceria entre a Câmara Municipal de Gaia, a Gaiurb, EM, e a Escola Artística e Profissional Árvore, que promove a sustentabilidade ambiental e o desenvolvimento económico, dando oportunidades de integração social no mercado de trabalho a pessoas desempregadas. 

Outro dos principais eixos de intervenção do programa Gaia+Inclusiva é o apoio ao arrendamento, que ao longo de 2020 espoletou dois reforços orçamentais, para fazer face ao crescente aumento dos pedidos de ajuda. Foram beneficiados 260 agregados familiares, o que corresponde a 547 indivíduos. São, sobretudo, mulheres (64,5%), com idades compreendidas entre os 35 e os 65 anos, isoladas (28%) ou monoparentais, com filhos a cargo (25%). Mafamude e Vilar do Paraíso (68) e Canidelo (44) são as freguesias que registam um maior número de famílias apoiadas. Neste eixo, a Câmara Municipal de Gaia investiu 422 mil euros.

Por fim, a autarquia presta, ainda, apoio na área da vacinação, através da distribuição das vacinas rotavírus, pneumocócica e bexsero a crianças residentes no concelho. No total, em 2020, foram distribuídas 1.092 vacinas, beneficiando 526 crianças (o que corresponde a 484 agregados). No topo das mais requisitadas estão as três primeiras doses da vacina bexsero. 

De realçar que o Gaia+Inclusiva é um mecanismo estratégico inovador, baseado na cooperação e articulação do Município de Gaia com os parceiros sociais, especialmente as Juntas e Uniões de Freguesia do concelho, pelo potencial de intervenção de proximidade. Este programa permite apoiar as famílias mais fragilizadas, assegurando, entre outros, o pagamento de despesas de renda, luz, água, bens de primeira necessidade, despesas de saúde e de educação; a comparticipação de algumas vacinas; o apoio na formação profissional e o acompanhamento em situações de endividamento. 

Perspetivas para 2021

Um dos seus eixos prioritários é o apoio na carência económica e emergência social, que visa responder a situações de carência com apoio financeiro direto. Para o ano em curso, já foi aprovado em reunião de Câmara (de 22 de fevereiro) a verba de 250 mil euros para o eixo do apoio na carência económica e emergência social (200 mil euros a atribuir às Juntas e Uniões de Freguesia e 50 mil euros para apoio financeiro aos agregados familiares carenciados em situação económico-social de emergência, mediante proposta dos serviços). Este valor poderá ser alvo de atualização, tendo em conta o crescente e preocupante aumento dos pedidos de ajuda. Tal como já foi divulgado anteriormente, também o Eixo de Apoio ao Arrendamento terá reforço da dotação orçamental para o presente ano (800 mil euros).