Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 14 Set 2020 Câmara de Gaia garante arranque de ano letivo seguro e tranquilo Distribuição de roteiro de boas práticas, oferta de kit de higiene e testagem da comunidade educativa são algumas das medidas
A Câmara Municipal de Gaia está a distribuir um roteiro de boas práticas com protocolo de intervenção a todos os agregados familiares do concelho que tenham filhos nas escolas, num total de 32 mil alunos. Esta medida acontece devido à pandemia de covid-19 e visa todas as escolas de Gaia, existindo diferentes abordagens de acordo com os ciclos a que cada aluno está associado, dos jardins de infância e 1º ciclo ao secundário.


"Ser inconsequente todo este trabalho se não houver a colaboração das famílias no cumprimento das regras e na atenuação dos riscos que estão subjacentes ao retorno às aulas de 32 mil alunos gaienses”, defende Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, entidade que, nos últimos meses, tem trabalhado de forma incansável em articulação com todos os parceiros da educação e da saúde. O objetivo passa por "garantir uma resposta integral e atempadamente planeada e executada, na perspetiva da criação de todas as condições de segurança e tranquilidade para todos”, garante.

Além do roteiro, os 15 mil alunos do 1º ciclo receberão um kit com gel desinfetante e um spray para sapatos, uma vez que nem todas as escolas conseguirão assegurar o modelo de troca de sapatos das crianças à entrada. Desta forma, será reduzido ao máximo o risco de contágios e serão criadas dinâmicas de segurança e desinfeção.

Para os jardins de infância e escolas do 1º ciclo, o arranque do ano letivo também terá como novidade a distribuição de um manual que explica o protocolo de intervenção em casos de febre, por exemplo, bem como o roteiro com as medidas de prevenção da covid-19 e serviços disponíveis, como é o caso da distribuição de pequeno-almoço e lanches gratuitos, estando desaconselhado o uso de lancheiras pessoais para evitar partilha de objetos. "A pandemia obriga a mudanças na preparação da alimentação. Mudanças de metodologia de distribuição e forma de apresentação”, afirma Eduardo Vítor Rodrigues, referindo-se ao facto de as refeições serem entregues em formato de dose individual, em material descartável.

Também o uso das cantinas escolares terá regras específicas ou, dependendo dos casos, funcionará por turnos. A Câmara Municipal de Gaia garantiu, ainda, a colocação de sinalética nas escolas "adequada e simplificada conforme os graus de ensino”. Quanto às escolas EB 2/3 e secundárias, a distribuição do roteiro também será feita, tendo a autarquia preparado com os agrupamentos quer a sinalética, quer a distribuição de acrílicos (adquiridos pelo Município) para as secretárias de dois lugares.

A Câmara de Gaia determinou, ainda, que o mobiliário para os vários graus de ensino seria entregue conforme as prioridades e necessidades, nomeadamente nas escolas EB 2/3 que estão a ser reformuladas, como é o caso das escolas de Valadares, Costa Matos e Sophia de Mello Breyner. O custo do mobiliário para estas escolas foi de 600 mil euros, enquanto um outro lote, destinado aos jardins de infância e 1º ciclo, custou cerca de 1,5 milhões de euros.

Por fim, para assegurar um arranque de ano letivo o mais seguro quanto possível, a Câmara de Gaia está a testar, desde o dia 10 de setembro, no Pavilhão Municipal Nelson Cardoso, os mais de 4 mil professores e pessoal não docente das escolas públicas do concelho. "Os desafios são muitos e as incertezas também. Mas a nossa vontade coletiva é maior e o espírito da responsabilidade conjunta vai ajudar a prevenir os problemas”, conclui Eduardo Vítor Rodrigues.