Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 30 Set 2020 «Bicicletas partilhadas» para uma cidade mais sustentável Funcionários da Gaiurb adotam projeto piloto
A Gaiurb, E.M. acaba de disponibilizar «Bicicletas Partilhadas», um projeto piloto adotado pelos funcionários que consiste na utilização de bicicletas elétricas em deslocações de trabalho, enquanto exemplo de boas práticas de comportamento sustentável como contributo para a descarbonização, a sustentabilidade da cidade e a mobilidade suave partilhada.

A ação piloto, implementada no Dia Sem Carros que decorre no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade, terá a duração de três meses e, entre 21 de setembro a 21 de dezembro, permitirá aferir as vantagens junto das várias comunidades de utilizadores de bicicletas partilhadas.

A iniciativa tem como objetivo mobilizar os funcionários da empresa municipal para a importância da mobilidade limpa e do transporte urbano sustentável, com benefícios na melhoria da qualidade do ar, da redução de ruído, da emissão de poluentes e, paralelamente, a melhoria da qualidade de vida, da saúde e do bem-estar da equipa.

O uso de bicicleta como meio de transporte tem vindo a assumir um papel de relevo nas políticas e estratégias de mobilidade sustentável, sublinhando o posicionamento da Gaiurb como elemento facilitador na tomada de decisão.

O projeto «Bicicletas Partilhadas», para além de ser pioneiro, enquadra-se na visão estratégica da empresa para um futuro mais integrado e sustentável, numa lógica de criação de valor em harmonia com a natureza e com a racionalização dos recursos com o propósito de superar novos desafios.

Para António Miguel Castro, presidente do Conselho de Administração da Gaiurb, "com a adoção da bicicleta elétrica, temos a possibilidade de melhorar a nossa perceção da cidade, analisar as condições de mobilidade e de desfrutar de trajetos mais agradáveis e que contribuem para uma experiência mais saudável e também mais responsável do nosso quotidiano. Acresce a isso o facto de termos uma ação em equipa que serve de motor para reflexões conjuntas, ideias novas e soluções mais ajustadas à realidade com a qual trabalhamos”.