Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 12 Jan 2017 Tomada de posse dos órgãos sociais da Fedapagaia Cerimónia que apresentou a equipa para o biénio 2017/2018 decorreu no auditório da Assembleia Municipal
O auditório da Assembleia Municipal recebeu, a 12 de Janeiro, a cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Fedapagaia (Federação das Associações de Pais de Vila Nova de Gaia) para o biénio 2017/2018, num momento que contou com «casa cheia» e que procurou motivar todos os presentes para os desafios que se avizinham. Com a presença do presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, do presidente da Confap, Jorge Ascenção, e de vários membros das associações de pais do concelho, Carlos Gonçalves deixou algumas palavras à audiência, em especial aos novos membros dos órgãos sociais. "Felicito-os por aceitarem o desafio, com todas as dificuldades, riscos e abnegação que terão de superar, lembrando-lhes uma velha máxima, para quem se disponibiliza a servir voluntariamente a causa associativa: Parabéns! Significa sempre bom trabalho”, começou por assinalar. Para esta nova caminhada, os desafios são acrescidos, garantiu o presidente da Fedapagaia. "Para mim cresce a dificuldade, uma vez que ao mesmo tempo que tenho de perspetivar um caminho de futuro, não posso deixar de o fazer olhando para o passado recente e analisar, criticamente, o que foi feito”, explicou, congratulando toda a equipa pelas conquistas e pelos sucessos alcançados.
Ao longo dos últimos dois anos muito foi feito em prol da educação em Vila Nova de Gaia. "Interagimos com as associações de pais do concelho, construímos uma relação de proximidade com as direções das escolas, acrescentamos unidade ao Movimento Associativo Parental e obtivemos o reconhecimento da autarquia, na construção de uma verdadeira parceria para a política educativa do concelho”. Por fim, para os pais de um modo muito particular, Carlos Gonçalves deixou uma mensagem de esperança e determinação para o biénio que agora se inicia: "no ano em que a Fedapagaia completa trinta anos de existência, queremos uma federação viva, reconhecida no concelho e considerada no país. O desafio é grande mas acredito que não será maior do que a nossa vontade. Sei que nesta missão de «aprender para ensinar a ser» poderemos continuar a contar com todos”, concluiu Carlos Gonçalves.