Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 03 Mar 2020 Reabilitação do Núcleo Piscatório da Aguda dará nova vida aos Bombeiros A intervenção já está em curso e estará concluída no final deste ano
Localizado na freguesia de Arcozelo, em Vila Nova de Gaia, numa área adjacente ao quartel dos Bombeiros Voluntários, o Núcleo Piscatório da Aguda está a ser, desde o final do ano passado, profundamente reabilitado de forma a responder às necessidades mais recentes sentidas pela corporação, numa intervenção que tem um custo de 547 mil euros (valor do IVA incluído). Parte do investimento será oriundo do orçamento municipal (285 mil euros) e o restante valor (262 mil euros) será financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). O edifício encontrava-se em elevado estado de degradação, carecendo de uma intervenção imediata, sob pena de ruir completamente e levantar um conjunto problemas para a vizinhança, nomeadamente no que diz respeito a questões de salubridade pública e segurança.

O objetivo da intervenção passa por reutilizar este edifício para a instalação de duas camaratas (com 25 camas), balneários e uma garagem destinada a elementos náuticos (motas de água, pequenos barcos, equipamento acessório, entre outros). Num período em que se verifica o aumento de serviço de voluntariado entre jovens permitir-se-á, assim, uma maior captação e articulação com atividades relacionadas com a costa marítima municipal e intermunicipal. Além de reforçar a atividade da corporação de bombeiros, esta obra faz parte da estratégia do Município de Gaia de salvaguardar o património concelhio.

Atenta às necessidades sentidas pelo quartel, a Câmara Municipal de Gaia entregou, ainda, na reunião de Câmara de 2 de março – realizada no salão nobre dos Bombeiros Voluntários da Aguda –, um protocolo de colaboração no qual se compromete a ajudar o quartel com 55 mil euros, destinados a repor alguns pontos de degradação provocados pela «tempestade Elsa». O mau tempo agudizou os problemas existentes no edifício, tendo a cobertura do quartel sofrido danos significativos, o que tem provocado graves infiltrações que colocam em causa a funcionalidade, a segurança e a habitabilidade do mesmo.