Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 14 Fev 2017 Orçamento Participativo das escolas: o primeiro debate realizou-se em Gaia OPE começou a ser debatido na Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves, em Valadares

Com uma verba mínima de 500 euros por estabelecimento de ensino (é atribuído um euro por cada estudante da escola em questão), o Orçamento Participativo das Escolas (OPE) começou a ser discutido, a 14 de Fevereiro, na Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves, em Valadares, numa apresentação conduzida pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Até ao final do mês, os alunos têm nas suas mãos a decisão de como aplicar as verbas do OPE, sendo que a proposta vencedora por cada escola deverá ser executada pela direção do estabelecimento ou agrupamento até ao fim do ano civil em que foi votada. «Agora a sério, tu podes melhorar a tua escola» é o lema da campanha que tem procurado mobilizar toda a comunidade escolar.

Num ambiente de grande envolvência entre Tiago Brandão Rodrigues e os alunos, foram conhecidas as propostas que deverão ser votadas na Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves. Da criação de um planetário e de um clube de astronomia às preocupações com a prática desportiva na escola, passando pelo incentivo ao crescente uso de bicicletas e à construção de um coberto de ligação entre o bufete e o Pavilhão A (que reuniu grande entusiasmo entre o público presente e que o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, se prontificou a patrocinar), foram muitas as propostas apresentadas e que comprovaram a crescente preocupação destes alunos pela qualidade e pela melhoria das condições da sua escola.

Esta iniciativa, que até Março envolverá mais de 1.100 escolas e cerca de 700 mil alunos do 3.º ciclo e ensino secundário, visa incentivar a capacidade de tomar decisões, compreender o funcionamento das instituições democráticas e apelar ao espírito de cidadania e participação, proporcionando, simultaneamente, momentos de debate entre estudantes do 7.º ao 12.º ano de escolaridade. Até ao dia da votação, 24 de Março (Dia do Estudante), os alunos devem refletir e escolher a proposta que melhor se adequa àquilo que pretendem para a sua escola. Terminado o primeiro ano de aplicação da medida, será realizada uma auditoria que permitirá perceber o impacto da mesma e produzir recomendações no sentido da sua melhoria.