Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 23 Mai 2018 Open Day colocou Gaia no centro da Mobilidade Sustentável Evento reuniu profissionais de várias áreas para discutir estratégias para melhorar a vida das cidades
«Open Day Mobilidade Sustentável: o caminho das eco-cidades». Foi com esta base que se realizou no Auditório Municipal de Gaia, no dia 23 de Maio, uma conferência que procurou discutir a mobilidade urbana e organizar estratégias para melhorar a vida nas cidades. A abertura dos trabalhos foi da responsabilidade do presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, que encarou os transportes como um dos pilares fundamentais do desenvolvimento dos países, avançando que o próximo quadro comunitário de apoio deve ser dedicado à área dos transportes – um compromisso assumido pelas áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa. "Não há nenhum outro setor da vida social que repercuta tanto na inclusão, integração, crescimento económico e que possa ter mais repercussões na nossa vida coletiva do que os transportes. É importante que os transportes adquiram uma centralidade nas decisões políticas”, defendeu o autarca.

A descabornização foi um dos temas abordados por Rui Velasco Martins, do Instituto da Mobilidade e dos Transportes, que defendeu a necessidade de "evitar viagens desnecessárias” e o "planeamento de redes integradas e bilhética integrada”.

Na hora de escolher o automóvel em detrimento do transporte público, Ana Aguiar, professora assistente na Universidade do Porto, apresentou dados que mostram que quem se desloca da periferia chega mais depressa ao centro das cidades se recorrer ao transporte público. Concluiu-se, então, que, por falta de conhecimento, os cidadãos têm optado pelo carro por considerem mais vantajoso em termos de preço e eficiência.

Do Instituto das Cidades e Vilas em Mobilidade, Paula Teles defendeu que as cidades devem ser projetadas por esta sequência: peões, bicicletas, transportes públicos e carro. Por falta de dinheiro, a oradora acredita que as cidades portuguesas estão atrasadas neste planeamento, apelando à necessidade de adotar aquilo a que chamou de "acupuntura urbana”. Por outras palavras, referiu-se à urgência de realizar pequenas intervenções fundamentais para a melhoria da qualidade vida nas cidades.

Há novas ideias sobre mobilidade sustentável e com este Open Day foi possível deslindar alguns dos principais desafios com os quais as cidades têm de aprender a viver no futuro. Os indicadores apresentados sugerem que a melhoria dos transportes terá, inequivocamente, um impacto direto na qualidade de vida e, por isso, é urgente que este assunto faça parta da agenda política do país.

Organizada pelo Público, a conferência contou com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.