Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 10 Nov 2016 MANIFesta lançou reflexão em prol do desenvolvimento local A sessão de abertura contou com a presença de Catarina Marcelino, secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade
Música, teatro, cinema, animação de rua, exposições, debates, tertúlias e mostra de produtos e serviços. De 9 a 13 de Novembro, o Convento Corpus Christi, em Vila Nova de Gaia, recebeu este conjunto de iniciativas no âmbito da MANIFesta: XI Assembleia, Feira e Festa do Desenvolvimento Local, um evento que contou como um dos principais pontos altos a visita oficial da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, para apresentação do roteiro «Cidadania em Portugal» na região Norte. 

Para a governante, este roteiro é "um desafio à construção de comunidades ativas em todos os cantos de Portugal”, sendo, por isso, um convite para que todas as pessoas se envolvam "neste processo de reflexão e ação coletiva” e na construção da cidadania em Portugal. Segundo o lema do roteiro, este é o momento para «parar, pensar e agir» sobre as desigualdades, as discriminações e as violências que ainda perduram.  

Com o intuito de contribuir para a reflexão, convergência de objetivos e intervenção de pessoas e organizações da sociedade civil em prol do desenvolvimento local, a MANIFesta é "um espaço de encontro e encontros da economia social e solidária, de aprendizagens entre pares na partilha de saberes com a humildade que nos aproxima”, descreveu Marco Domingues, presidente da direção da Animar (Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local), entidade organizadora do evento, em parceria com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Cooperativa do Povo Portuense. 

A partir das conferências foi possível compreender melhor alguns conceitos, (re) pensar formas de atuação nos domínios das políticas sociais promotoras do desenvolvimento local, da cidadania e da igualdade, reforçar a importância da cooperação e da responsabilidade social para o desenvolvimento, analisar as oportunidades e os desafios que os jovens enfrentam hoje na área do emprego e refletir sobre o papel da sociedade civil na implementação da Agenda dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. 

Decorreram também vários workshops, visitas, sessões de cinema e tertúlias que possibilitaram uma partilha frutuosa de experiências e práticas e que, aliados ao espaço mostra e à programação cultural, levaram os participantes numa viagem pelas principais culturas e saberes locais.