Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 06 Mai 2019 Lançado o concurso público para extensão da linha amarela Para Eduardo Vítor Rodrigues, em causa “não estão apenas linhas, mas uma estratégia integrada”
O concurso público das duas novas linhas do Metro do Porto, por 307 milhões de euros, foi lançado a 5 de Abril, estimando-se que as ligações transportem mais 33 mil passageiros por dia. Em causa está a construção da linha rosa, que ligará os Aliados e a Casa da Música, e o prolongamento da linha amarela, de Santo Ovídio a Vila d’Este. 

Para Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, em causa "não estão apenas linhas, mas uma estratégia integrada”. "Esta é uma estratégia nova para as cidades em Portugal e para as Áreas Metropolitanas muito em concreto. Estamos perante um novo modelo de desenvolvimento. Não estamos perante apenas mais duas linhas ou uma expansão de metro. Estamos perante uma estratégia muito mais consolidada”, disse. Eduardo Vítor Rodrigues destacou, ainda, a redução das tarifas e melhorias na oferta de transportes públicos para sublinhar que o país está a assistir "a algo emblemático”. "Estes não são eventos efémeros ou isolados. Fazem parte de uma estratégia integrada em que a Área Metropolitana tem um novo papel e os autarcas assumem despojar-se de algum do seu orçamento municipal, outrora se calhar dedicado a coisas de maior visibilidade, para hoje estar dedicado a coisas de muito maior importância estratégica para a economia, ambiente e coesão social e região”, disse.

Relativamente ao prolongamento da linha amarela, o presidente da Câmara de Gaia acredita que "esta é quase uma nova linha, não apenas uma expansão”, acrescentando: "o impacto na qualidade de vida dos cidadãos é muito grande. Esta expansão vai revitalizar uma zona do concelho, um núcleo habitacional, que outrora foi considerada problemática e vai garantir a ligação a um centro hospitalar utilizado diariamente por milhares de utentes”, concluiu.