Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 30 Ago 2017 Gaia entre os municípios mais exportadores do país Índice de exportações do município aumentou 12 por cento desde o final de 2013
Vila Nova de Gaia subiu ao sexto lugar da tabela dos municípios portugueses mais exportadores, graças aos resultados obtidos no primeiro semestre deste ano, com um valor total de 783,13 milhões de euros. Em comparação com o período homólogo, Gaia subiu três posições neste ranking, com um aumento de 8,7% nas vendas face aos 679,12 milhões em exportações registados no primeiro semestre de 2016.
"Excelentes indicadores para o município”, para o presidente da Câmara Municipal, Eduardo Vítor Rodrigues, que destaca também que este resultado coloca Vila Nova de Gaia no terceiro lugar na tabela dos municípios mais exportadores da região Norte. "Temos procurado impulsionar a economia no nosso município, com incentivos fiscais e outros para quem se instala ou expande no nosso concelho, e penso que os resultados estão à vista. É cada vez mais claro que vale a pena investir em Gaia”, reforça.
Estes números mantêm a tendência de aumento das exportações que Vila Nova de Gaia tem conquistado nos últimos anos. Se no final de 2016 – altura em que ocupava a oitava posição na tabela dos municípios mais exportadores – Gaia somava 1,385 milhões de euros em exportações, no final de 2013 o valor era de 1,237 milhões, um crescimento de 12 por cento em três anos, de acordo com dados apurados pela Pordata.
A Câmara de Gaia apresentou, em junho último, o programa Go.On – invest in Gaia, um pacote de medidas para atrair investimento e promover a criação de emprego no concelho. Depois da apresentação, em setembro de 2016, da primeira fase do Quadro de Investimento Inteligente (QI2 – Gaia) –, esta é a nova ferramenta da autarquia para alavancar o investimento. Através do Go.On – invest in Gaia, o Município pretende acompanhar, da forma mais próxima e ágil possível, a iniciativa privada, assegurando um conjunto de medidas e incentivos locais: licenciamento zero (isenções nos processos de licenciamento), via verde para o investimento (agilização dos processos burocráticos) e reduções fiscais na derrama, na taxa de resíduos sólidos e na taxa de publicidade.