Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 10 Mar 2018 Exposição retrospetiva de Cruzeiro Seixas compila obras do mestre do surrealismo Trabalhos estarão expostos até ao dia 7 de Abril
«E de súbito o silêncio toma-nos». É este o mote da exposição retrospetiva de Artur Cruzeiro Seixas, inaugurada no dia 10 de março na Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo, e que contou com a presença do mestre do surrealismo português. Perante uma sala cheia, Cruzeiro Seixas partilhou alguns momentos da sua carreira, homenageando aqueles que o marcaram ao longo destes 97 anos. "Encontrei na minha vida gente muito apaixonante, como por exemplo os meus pais, pessoas em quem sempre encontrei apoio e estímulo”, partilhou o homem que nunca quis ser apelidado de «artista».

Em colaboração com a Fundação Cupertino de Miranda, foram selecionados alguns trabalhos, numa viagem pelo seu mundo de inspiração. A mostra estará patente até 7 de abril e é, para Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara de Gaia, "o início de um trabalho que queremos que se intensifique no panorama cultural do concelho”. Uma forma de homenagear artistas que "merecem as melhores considerações num país que, por vezes, é ingrato com a cultura”, acrescentou.

A exposição inclui colagens, objetos, desenhos, têmperas e guaches realizados ao longo da sua carreira. Grande parte do acervo de Cruzeiro Seixas é, hoje, detida pela Fundação Cupertino de Miranda (que irá albergar o Centro Português de Surrealismo), com sede em Vila Nova de Famalicão.