Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 19 Fev 2020 Edifício da Assembleia Municipal de Gaia entrou em obras A intervenção, com um custo aproximado de 900 mil euros, terá uma duração prevista de nove meses
Construído no início da década de 1990, o edifício onde funciona a Assembleia Municipal de Gaia carecia já de diversas obras de reabilitação e adaptação às novas necessidades. Ao longo dos anos, pequenos arranjos interiores foram sendo feitos, mas a zona do auditório nunca teve qualquer intervenção de registo, pelo que apresentava um conjunto de deformidades com a lei vigente, nomeadamente ao nível das acessibilidades. A partir do dia 18 de fevereiro, com o início das obras de reabilitação deste espaço, começou a escrever-se uma nova página na vida do edifício da Assembleia Municipal de Gaia.

A intervenção que já começou, com um custo aproximado de 900 mil euros e uma duração prevista de nove meses, tem como objetivo alargar as valências existentes, possibilitando a realização de seminários, conferências, pequenos congressos, ações de formação, entre outros eventos de caráter idêntico, abrindo o espaço à comunidade e às instituições do concelho. Ao nível das áreas exteriores será também levada a cabo uma intervenção significativa, eliminando-se barreiras e dotando-as de uma imagem mais contemporânea. 

O auditório passará a ter o nome de uma figura marcante para a história de Vila Nova de Gaia, tal como explica Eduardo Vítor Rodrigues: "a homenagem a Manuel Menezes de Figueiredo é a evocação de um dos nossos maiores políticos, daqueles que resistem à espuma dos dias, tolerante, mas convicto; dialogante, mas assertivo; magnífico, mas humilde; forte, mas sensível; culto, mas solidário. Na entrada do novo Auditório Menezes de Figueiredo estará inscrita a evocação da liberdade, da honestidade e da democracia. Como tinha de ser: ele sempre esteve dedicado a Gaia e aos Gaienses. E continuará, agora com o nome inscrito no betão, de cujo material era feito o seu caráter”.