Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 01 Jan 2017 Conheça a Leonor, a pequenina que quis ser a primeira bebé a nascer no Hospital de Gaia Maria Leonor é a segunda filha de Elisabete e Marco, que já têm um menino de oito anos
O relógio marcava a meia-noite em ponto e a Maria Leonor, a menina que já na barriga da mãe teimava em ficar acordada até às quatro da manhã, começou a dar um ar da sua graça. De sorriso no rosto e olhar sempre atento à sua pequenina, Elisabete Macedo recorda o momento em que as águas rebentaram logo aos primeiros segundos de 2017, marcando o início de um processo que a jovem conhecia bem uma vez que já é mãe de Francisco, com oito anos. Estava na hora da Leonor conhecer o mundo e o irmão que, embora mostre alguns ciúmes típicos, não esconde o entusiasmo. O destino, esse, quis que a Leonor fosse a primeira bebé a nascer na unidade materno-infantil do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, às 10h33, com 38 semanas, 2,560 quilos e 44 centímetros. "É tão pequenina”, diz Elisabete, num tom protetor mas seguro de que a sua filha está entregue à responsabilidade de excelentes profissionais. 

Elisabete Macedo vive em Gulpilhares e sempre foi acompanhada nas unidades de saúde de Vila Nova de Gaia. Por isso, não faria sentido ter a sua filha fora do concelho. "É essa a nossa intenção. Queremos que todos os bebés acompanhados nos nossos serviços nasçam em Gaia”, garantiu Manuel Monteiro, vereador da Câmara Municipal de Gaia, que não quis deixar de conhecer a primeira gaiense a nascer em 2017. Para o pai, Marco Antunes, nada há a apontar. Estamos perante serviços de qualidade e profissionais de primeira linha que tudo fazem para que os utentes tenham os melhores cuidados de saúde. 

É parecida com o pai ou com a mãe? A pergunta tradicional fez-se ouvir e da mãe saiu uma resposta pronta: "tem muitos traços do pai”. Em contrapartida, se do pai a Leonor "roubou” o nariz e outras linhas do rosto, da mãe espera-se que a menina herde uma especial predileção para uma cor futebolística. "Para meu desgosto, acho que neste momento a Leonor é portista”, partilhou Marco Antunes, sob o olhar orgulhoso de Elisabete. Quanto à escolha do nome, a decisão foi unânime, pelo menos entre os pais. O filho mais velho certamente que tinha uma lista de nomes interminável mas, a certo momento da gravidez e dada a robustez dos nomes pretendidos, as opções da criança foram invalidadas. O cão da família é já fruto da originalidade de Francisco que lhe atribuiu um nome bastante singular: «Maltesers Pêra Santos». 

Esta é a história da Leonor, a primeira bebé gaiense nascida em 2017. Muitas mais histórias continuam a ser contadas, diariamente, pela voz das centenas de pais que escolhem a unidade materno-infantil do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho para entregarem um dos momentos mais emocionantes da vida de um casal.