Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 08 Nov 2019 Conferência Internacional de Aleitamento Materno realizou-se em Gaia Evento decorreu no auditório do Centro de Reabilitação do Norte
O Centro de Reabilitação do Norte acolheu, a 8 de novembro, a Conferência Internacional de Aleitamento Materno, um encontro organizado pela Comissão Nacional Iniciativa Amigos do Bebé (CNIAB), com o apoio da Câmara Municipal de Gaia e da UNICEF Portugal. «Capacitar as famílias favorece a amamentação hoje e sempre» foi a temática lançada, com intervenções de vários painéis e especialistas com o intuito de promover o debate sobre as medidas e políticas necessárias para impulsionar a amamentação no início de vida do bebé. O programa contemplou diversos temas, como a «estratégia nacional para a alimentação nos primeiros mil dias de vida», «o papel dos municípios na promoção de uma alimentação saudável» e, ainda, a «política de promoção do aleitamento materno no sistema de saúde». Pela voz de Margarida Rocha, foi dado a conhecer o trabalho que o Município de Gaia tem desenvolvido, ao longo dos últimos anos, nesta matéria, ajudando a desmistificar o tema.

"Investir no aleitamento materno, adaptar as instituições e serviços do SNS para que possam melhor responder às necessidades das mães e das crianças é fundamental para criar as bases de um desenvolvimento saudável da criança e da jovem mãe”. As palavras da ministra da Saúde, Marta Temido, encerraram esta conferência que contou, ainda, com a presença do presidente da Câmara Municipal de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e da ex-ministra da Saúde e atual presidente do CNIAB, Ana Jorge, que defende a inevitabilidade das empresas criarem locais e condições para incentivar as trabalhadoras a extrair leite materno no local de trabalho. A antiga ministra alertou, ainda, para a necessidade de ser criado um banco de leite no norte do país, a par do que já acontece na Maternidade Alfredo da Costa. "(Estes bancos de leite) seriam suficientes para as necessidades do país dada a nossa dimensão, sobretudo para resolver as questões mais complexas que são os bebés prematuros, uma vez que o leite materno, ainda que não seja da mãe, contribui para uma diminuição das complicações de saúde”, afirmou. 

Neste encontro foram, também, entregues os certificados de reclassificação enquanto «Amigos dos Bebés» a cinco dos 15 hospitais que cumprem as regras para a promoção do aleitamento materno.