Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 18 Out 2019 Câmara de Gaia quer intervir na população reclusa através de cães ‘sem família’ Projeto «Pelos Dois» envolve um investimento municipal de 165 mil euros
A Câmara Municipal de Gaia pretende ser investidor social, através do cofinanciamento de 165 mil euros de um projeto que pretende desenvolver competências pessoais, sociais e emocionais nos reclusos, apostando na sua reabilitação, com recurso a cães ‘sem família’. O referido projeto foi submetido a candidatura, através do Programa Parcerias para o Impacto da Portugal Inovação Social, pela associação DTC Social.   

Perante a elevada prevalência de perturbações psiquiátricas na população reclusa portuguesa – o que aumenta os fatores de risco de reincidência – e a sobrelotação dos Centros de Recolha Oficiais (CRO) de Animais Errantes, o projeto propõe reabilitar os reclusos dos estabelecimentos prisionais de Santa Cruz do Bispo (masculino), Izeda e Vale do Sousa, dando-lhes a responsabilidade de cuidar, educar e treinar cães. Em concreto, o projeto «Pelos Dois» envolverá um universo de 432 indivíduos e 432 cães do Centro de Reabilitação Animal de Gaia (ou associações de proteção animal locais). A iniciativa prevê a existência de alojamento para os animais nas instalações dos EP a cargo dos reclusos envolvidos no decorrer da intervenção, para que possam garantir, diariamente, o bem-estar dos cães alocados ao programa, treinando-os, ao mesmo tempo que estes são divulgados para adoção numa plataforma criada para esse efeito. 

Com este projeto, os impactos para a sociedade serão notórios. Por um lado, no recluso, permitirá promover a saúde mental e investir no desenvolvimento pessoal e social, capacitando-o e dando-lhe uma ocupação de tempo livre estruturante, educativa e útil. Por outro lado, através dos treinos básicos, os cães ficarão mais aptos a serem adotados, contribuindo para a diminuição da lotação dos centros de recolha animal.