Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 26 Mar 2020 Câmara cedeu três viaturas ao Hospital de Gaia Hospital tem, desde esta semana, primeiro aparelho de testes Covid-19 de última geração
O Hospital de Gaia é o primeiro do país a dispor, desde o dia 21 de março, do primeiro aparelho de testes Covid-19 de última geração, que permite a realização de mais de mil testes diários. Um avanço extraordinário para reforçar a despistagem do vírus, tendo sobretudo em conta que, em média, um centro de testes nos hospitais públicos não consegue fazer mais do que 150 a 200 por dia.

Este maior rastreamento implica dois cenários possíveis: se o teste der negativo, a pessoa fica em vigilância durante 14 dias em contexto domiciliário; se for positivo, o paciente é isolado e tratado no hospital (se o caso for grave) ou em casa, em regime de isolamento. Para que isto aconteça, é necessária uma deslocação diária de médicos e enfermeiros do Hospital de Gaia aos diferentes domicílios, para o tratamento diários exigível.

Neste contexto, a Câmara Municipal de Gaia cedeu três viaturas ao hospital, através de um protocolo, pelo período de dois meses, para transporte dos médicos aos domicílios, apoiando a prestação destes cuidados e reforçando a consequente capacidade de resposta dos quartos da unidade hospitalar. O seguro e o combustível serão assumidos pelo Município.

Para Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, "são viaturas que vão passar a estar dedicadas exclusivamente ao transporte de médicos que fazem o serviço de visita domiciliária a doentes que estão em processo de isolamento, mas nos seus próprios domicílios. É um transporte que facilita enormemente a ida aos domicílios, facilita a vida dos médicos e é um instrumento que nós podemos disponibilizar no imediato, sem aquela componente de concurso público ou lançamento de procedimentos. Fazemos isto numa altura em que o hospital começa a ter esta pressão”. O presidente acrescentou ainda que o centro de acolhimento do Parque Biológico já está a receber médicos do hospital e, a partir de agora, "estará disponível para todo o tipo de trabalho que seja necessário fazer, nomeadamente, se isso for necessário, o alojamento de pessoas de forma mais massiva porque existem condições para o efeito”.

Rui Guimarães, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, deixou um apelo a todos os cidadãos: "o país atravessa provavelmente um dos maiores desafios que nós vamos viver enquanto cidadãos. A situação é, de facto, preocupante e obriga-nos a todos a ser o mais assertivos possível. Tenho o orgulho de chefiar uma equipa de cerca de 4 mil pessoas que estão a dar tudo por tudo para conseguirem fazer o melhor. Mas se as pessoas fora daqui não forem capazes de cumprir as regras básicas de segurança, o nosso trabalho não serve de nada. Não vale a pena estarmos a continuar na onda de comprar mais ventiladores, de arranjar mais locais para doentes críticos, se depois não formos capazes de explicar à população que devem, de facto, ter medidas de isolamento. Isso é algo que nos está a preocupar imenso. Temos percebido que a cadeia de transmissão é fortíssima, mas temos também a obrigação de informar as pessoas que dos nossos profissionais que trabalham na linha da frente com situações de risco e situações identificadas como positivas, quer na urgência, quer na nossa tenda de triagem, quer nos cuidados intensivos, quer nas enfermarias específicas que estão apenas a lidar com estes casos, temos neste momento zero infeções nestes profissionais. Porquê? Porque as pessoas tomam as devidas precauções”.

O protocolo e as viaturas foram entregues à administração do Hospital de Gaia, a 26 de março, tendo-se seguido uma visita guiada à zona onde se encontra o novo equipamento.