Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 30 Dez 2016 Assinado entendimento sobre a manutenção da Ponte do Infante As câmaras têm a responsabilidade de cuidarem do tabuleiro, o que inclui tarefas de manutenção e conservação, drenagem, iluminação e sinalização
O dia 30 de Dezembro foi histórico para Vila Nova de Gaia e para o Porto. Foi assinado um memorando de entendimento relativo à manutenção da Ponte do Infante D. Henrique, entre a Infraestruturas de Portugal, SA, e os municípios de Vila Nova de Gaia e do Porto, numa cerimónia que contou com a presença dos presidentes das duas autarquias, Eduardo Vítor Rodrigues e Rui Moreira, e do presidente do Conselho de Administração executivo da Infraestruturas de Portugal, António Laranjo.
O memorando de entendimento, homologado pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, atribui às câmaras a responsabilidade de cuidarem do tabuleiro, o que inclui obras de manutenção e conservação, drenagem, iluminação e sinalização, entre outros equipamentos, ao passo que a infraestrutura, a obra de arte, será da responsabilidade da IP, que a integrará no seu Sistema de Gestão de Obras de Arte e ficará a cargo das monitorizações.
Numa empreitada estimada em 80 mil euros que visa a reparação do piso e iluminação, a ponte será alvo de obras em Abril, sendo que o processo concursal para a reparação da ponte será lançado esta semana. Além do tabuleiro, a obra inclui ainda reparações nas infraestruturas ligadas às águas pluviais e à iluminação, sendo ainda que o Porto fará a primeira intervenção e a próxima será efetuada pela Câmara Municipal de Gaia, que se compromete a desistir da ação judicial proposta contra o Estado relativa às responsabilidades de manutenção da ponte.
Para Pedro Marques, este memorando assinala um momento considerado "histórico”, uma vez que "resolve um problema com largos anos e garante mais segurança, melhor mobilidade, mais coesão territorial, valoriza o Douro, a região e o país”. Quanto ao papel que a IP irá assumir, o ministro garante que será feita uma monitorização contínua, admitindo que "talvez daqui a umas duas décadas provavelmente a infraestrutura possa precisar de alguma conservação estrutural e que isso acontecerá com uma periodicidade de vinte ou trinta anos”.
Recorde-se que a Ponte do Infante é a ponte rodoviária mais recente construída entre o Porto e Vila Nova de Gaia e garante importantes ligações da rede rodoviária entre os dois concelhos. Foi construída em consequência da ocupação do tabuleiro superior da Ponte Luís I, para instalação do metropolitano. A assinatura deste memorando termina com um impasse de vários anos sobre quem tinha ou não responsabilidades sobre uma ponte que foi paga pela Metro do Porto e inaugurada em março de 2003.