Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 13 Nov 2016 Afurada voltou a mostrar que sabe receber em mais uma edição do «Há Peixe!» A iniciativa decorreu de 10 a 13 de Novembro, na Afurada
A festa que junta gastronomia, música e tradição regressou à Afurada. De 10 a 13 de Novembro, a segunda edição do «Há Peixe!» na Afurada atraiu centenas de pessoas à vila piscatória de Vila Nova de Gaia, com animações para todos os gostos e paladares. Perante o sucesso da edição de estreia as expetativas elevaram-se, e o evento, organizado pela Câmara Municipal de Gaia, foi, uma vez mais, um pretexto eficaz para conhecer as tradições e a gastronomia da freguesia.

Às 21h30 do dia 10 o Centro Interpretativo do Património da Afurada (CIPA) abriu as suas portas para a abertura, numa noite de fado memorável, com a presença dos fadistas António Pinto Basto e Marcelo Silva, este último vencedor da edição de 2016 do «Gaia é Fado».

Com projeções de filmes, exposições de fotografias e pinturas e sessões de entrevistas a homens e mulheres da Afurada, esta edição trouxe algumas novidades, nomeadamente no que respeita à animação protagonizada pelos restaurantes locais. Este ano cada um deles teve a seu cargo a responsabilidade de organizar as animações dos seus espaços, havendo momentos em que os visitantes, enquanto desfrutavam de uma magnífica iguaria, foram surpreendidos com uma varina a apregoar, vestindo roupas tradicionais, o avental e, claro, carregando a canastra. 

Pelas ruas da Afurada, de mãos na anca, canastra na cabeça e voz afinada, as varinas desfilaram na noite do dia 11, com Amélia Azevedo e com o apoio da Tocata do Rancho Folclórico da Afurada. O desfile terminou no cais da Afurada, onde as mulheres acenaram aos barcos que, em resposta, tocaram as suas sirenes. Estiveram, assim, reunidas as condições para recordar os tempos em que os homens se ocupavam da pesca, enquanto as mulheres se dedicavam à venda ambulante, apregoando o peixe fresco. O São Martinho também não foi esquecido, com as tradicionais castanhas assadas e a animação típica desta época. 

O «Há Peixe!» na Afurada foi um convite a uma viagem no tempo, repleta de sabores, de tradições e de memórias que devem ser uma herança cultural comum a todos os gaienses.