Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Notícias 06 Mai 2019 3.ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2019 aberta até 20 de Julho Mostra está a decorrer na Quinta da Fiação, em Lever
"Esta é uma bienal de causas, um evento que se preocupa com as questões sociais e assumidamente políticas, daí convidamos pessoas ligadas à intervenção. Queremos afirmar a Bienal de Gaia como bienal da Área Metropolitana do Porto, como bienal do Norte. É uma bienal com cunho, com alma e com identidade”. É desta forma que Agostinho Santos, diretor dos Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural (organização), descreve a terceira edição da Bienal Internacional de Arte Gaia 2019, que decorre até 20 de Julho, na Quinta da Fiação, em Lever.

Entre as 22 exposições, com cerca de duas mil obras de mais de quinhentos artistas de 14 nacionalidades, destacam-se várias temáticas, como «Mulheres e Cidadania» (com curadoria de Manuela Aguiar, ex-secretária de Estado da Emigração), «Paz e Refugiados» (curadoria de Ilda Figueiredo, presidente do Conselho Português para a Paz e Cooperação), «Territórios do Vinho» (curadoria de Manuel Novaes Cabral), «Mínimo, Máximo e Assim-Assim» (Fátima Lambert), «Sub(Missão)» (Filipe Rodrigues), «Museu de Causas – Coleção de Agostinho Santos» (curadoria de Humberto Nelson), entre outros. 

A terceira edição da Bienal estende-se, ainda, à Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo, ao Mosteiro de São Salvador de Grijó e oito cidades (Alfândega da Fé, Gondomar, Viana do Castelo, Seia, Estremoz, Braga, Monção e Vigo). "O objetivo principal da Bienal de Gaia é desafiar os artistas a abordarem temas sociais e, através das artes, chegar ao público, despertar as consciências e abanar as mentalidades", concluiu o diretor da iniciativa. O artista homenageado desta edição é Zulmiro de Carvalho, escultor natural de Gondomar, que é destacado através de uma exposição antológica, com curadoria de Helena Fortunato.