Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Eventos 30 Nov 2019 a 26 Jan 2020 Máscaras da Ásia Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo
«Máscaras da Ásia» na Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo 


China, Coreia, Índia, Indonésia, Japão, Sri Lanka, Tailândia e Tibete preenchem o nosso imaginário de exotismo e exuberância. 
Divididas por três núcleos, 74 máscaras originárias destas nações asiáticas e, pertencentes à coleção Kwok On da Fundação Oriente, estão patentes ao público na Casa-Museu Teixeira Lopes/Galerias Diogo de Macedo, revelando ao visitante a diversidade performativa, estética e funcional destes objetos que, tanto podem encarnar temíveis demónios em rituais antigos como caricaturar tipos sociais, em peças de teatro cómicas.

As máscaras desta exposição pertencem à coleção Kwok On do Museu do Oriente, da Fundação Oriente. A coleção foi criada pelo sinólogo francês Jacques Pimpaneau, a partir de um conjunto de cerca de 600 objetos que lhe foram doados, em 1971, por Kwok On, um chinês que conheceu em Hong Kong. Esta doação foi o ponto de partida para a fundação da Association d’Arts e Traditions Populaires de l’ Asie e de um museu em Paris, que designou Museu Kwok On. Pimpaneau aumentou a coleção e dedicou-a às artes performativas asiáticas, assim como aos seus contextos religioso, narrativo e ritual associados, que documentam a diversidade de crenças, histórias e modos de vida deste contexto. Em 1999 a coleção Kwok On é doada à Fundação Oriente, que tem vindo a dar-lhe continuidade. Hoje, compreende mais de 15.000 objetos. A instituição tem sede em Lisboa e delegações na Índia, em Macau e em Timor-Leste. Mas um dos seus projetos mais relevantes é o Museu do Oriente, inaugurado em 2008. Através deste assume-se como elemento imprescindível da ponte cultural entre o Ocidente e o Oriente, um centro cultural de excelência que exibe testemunhos materiais da presença portuguesa no Oriente, bem como a riqueza e diversidade das artes tradicionais e a produção artística contemporânea de países asiáticos.
Observemos os seres sobrenaturais, divindades, personagens lendárias e animais fantásticos que fazem parte do imaginário das culturas asiáticas, e que estas representam nos seus rituais religiosos e performances de dança e teatro, através das máscaras. A função destas está associada a cerimónias religiosas que têm vindo a cair em desuso, em particular nas grandes cidades. Mas, embora por vezes despojadas do seu contexto ritual e religioso, continuam a fazer parte das manifestações culturais mais populares. À semelhança das estátuas nos templos, as máscaras asiáticas são ainda objetos sagrados nos quais reside a força dos espíritos que representam, expressando o seu poder enquanto os encarnam nos seus vários rituais e tradições teatrais.

A cerimónia de inauguração contou com demonstrações de Artes Marciais Chinesas e Danças Tradicionais Indonésias. Durante o período da exposição estão previstas diversas atividades (teatro, dança, workshops e gastronomia), destacando-se as Oficinas Infantis de Construção de Máscaras e de Leques Orientais (quartas e sextas-feiras, às 11h00 e às 15h00 e, aos sábados e domingos, às 10h30, com duração de 1h30. Incrição prévia obrigatória). No dia 6 de dezembro (sexta-feira), pelas 21h30, realiza-se um concerto de Cítara Indiana, por Kanal Auer. No sábado seguinte, dia 7 de dezembro, pelas 16h00, haverá lugar a um Workshop de Meditação e Relaxamento, segundo a filosofia de Sri Chinmoy (Índia) que também contará com a participação de Kanal Auer. A Embaixada da República da Coreia apresenta no domingo, dia 8, pelas 16h00, uma Mostra Gastronómica Coreana. No dia 13 de dezembro realiza-se um concerto de Taças Tibetanas e Gongo. Já no dia 21 de dezembro há lugar a uma palestra sobre Fotografia de Viagens, dedicada à Índia e é apresentado um Teatro de Sombras Japonesas. No dia 5 de janeiro é recriada uma Cerimónia Japonesa do Chá.

Terça-feira a domingo, 09h00-12h30, 14h00-17h30, até 26 de janeiro de 2020. Visitas acompanhadas às 09h30, 10h15, 14h30, 15h15, 16h00 e 16h45, requerem marcação prévia.
Entrada gratuita.
(A Casa-Museu Teixeira Lopes / Galerias Diogo de Macedo encerrará ao público nos dias 24, 25 e 31 (neste último, somente à tarde) de Dezembro e no dia 1 de janeiro.)



Eventos Relacionados