Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi

Vila Nova de Gaia no Termo do Porto

Durante a crise de 1383-1385 e tempos seguintes a região é reorganizada administrativamente, sendo os concelhos medievais de Gaia e Vila Nova, e respetivo julgado, bem assim como todos os restantes, integrados no Termo da cidade do Porto, nova circunscrição abrangente que tinha sede nesta ultima cidade, que assim passou a governar a região em proveito próprio, pois aí se localizavam as principais estruturas administrativas, judiciais, eclesiásticas e militares. Os concelhos de Gaia e de Vila Nova continuaram a existir integrados nesta nova estrutura, mas desde então só elegiam os executores locais da administração, como os ouvidores, os meirinhos e os almotacés.

É esta a realidade que encontramos no Foral dado a Villa Nova e terra de Gaya, por D. Manuel a 20 de janeiro de 1518, quando o território concelhio, a nível senhorial, era governado pela família dos Cernaches, senhores de Gaia desde 1415 (depois Condes de Campo Bello), dos Sás (descendentes dos alcaides do Castelo de Gaia e depois Marqueses de Abrantes), e de algumas outras com evidência na história nacional, continuando outras partes do território gaiense dominadas pelo senhorio régio, dependente do rei, e pelos eclesiásticos, como a diocese do Porto, o colégio das Artes de Coimbra da Companhia de Jesus, e o Mosteiro de Grijó, que no século XVI dá origem ao Mosteiro da Serra do Pilar.

Terra de mareantes, de marinheiros e de mercadores, esteve desde sempre ligada à Expansão Marítima europeia para as rotas do Atlântico e as ligações ao Brasil e à América do Norte, através de vários navegantes e povoadores, que a História tem, as mais das vezes, genericamente identificada como ?do Porto?. Para além da família dos Coelhos, dos Cernaches e dos Sás já referidos, que deram várias gerações de homens ligados à construção do império colonial português, a revisão historiográfica recente tem salientado com grandes probabilidades de aqui ter nascido o cicum-navegador Fernão de Magalhães da Mesquita (assim assina os documentos espanhóis), com fortes ligações biográficas a Vila Nova de Gaia e o piloto Nuno da Silva, usado como prisioneiro por Drake na sua posterior viagem de circum-navegação. Grande entreposto comercial, aqui se instalaram a maior parte dos armazéns das empresas exportadoras e, a partir de 1777, todas as de exportação de vinhos, logo após a queda do Marquês de Pombal e as tentativas de reforma da Companhia Geral da Agricultura dos Vinhos do Alto Douro, que tinha armazéns em Vila Nova e uma fundição em Crestuma.